Faça sua simulação salarial na tabela do PCCTAE

Através do site do SINASEFE Nacional , os Técnicos-administrativos do Campus de Campina Grande, criaram um simulador que permitem calcular nossos salários com a nova realidade introduzida pela lei 12.722 (tabela PCCTAE).
Acreditamos que essa iniciativa é positiva, pois, permite aos trabalhadores da rede a conhecer os seus direitos.Clique aqui e faça sua simulação!
Esperamos contribuir com o conhecimento da carreira disponibilizando para todos os servidores da rede este trabalho.
Parabéns aos companheiros(as) de Campina Grande!

Anúncios
Publicado em Carreira, Greve | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Tabela vencimento e carreira após o acordo – Projeção 2013/2014/2015

Confira como ficará a carreira e o vencimento básico de todos os técnico-administrativos com o acordo assinado para 2013/2014/2015.

Confira clicando aqui o material elaborado pela FASUBRA

OBS: Neste material há erro na parte relativa ao incentivo a qualificação. Não há uma tabela diferente para cada nível, com a inexistência de relação indireta em alguns casos (como aparece). Na realidade é uma tabela única, em que sempre há diferenciação entre área de formação com relação direta ou indireta em relação . Acesse a correta clicando em percentuais para incentivo a qualificação PCCTAE.

Para conferir seu ambiente organizacional e as áreas de formação afins acesse o DECRETO Nº 5.824, DE 29 DE JUNHO DE 2006 (procedimentos para a concessão do Incentivo à Qualificação do PCCTAE).

Confira outros materiais sobre o acordo assinado: Continuar lendo

Publicado em Carreira, Greve, Notícias | Marcado com , , , , , , , | 2 Comentários

MATERIAIS SOBRE AS 30 HORAS

Aqui disponibilizamos materiais sobre a política da flexibilização de jornada de trabalho dos TAE para 30 horas semanais. Acesse para conferir e estudar. Continuar lendo

Publicado em Arquivo | Marcado com , , | 15 Comentários

CIS IFPR: novo regimento é aprovado

LOGONa última reunião do CONSUP do IFPR, realizadas no dia 17/10, o processo referente a alteração do regimento da CIS IFPR foi aprovado. Agora passa a vigorar a resolução 60.2017. 

Clique aqui para acessar e baixar a resolução 60.2017

Publicado em Carreira, Notícias | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Convocatória reunião CIS-IFPR: aberta a todos TAE – 26/09 – 9h – videoconferência

A CIS-IFPR e seus membros titulares Guilherme Basso dos Reis e Patrícia Teixeira convocam reunião da comissão e convidam todos os técnico-administrativos do IFPR a participarem. Os pontos de pauta que já possuem alguma contribuição, notícia ou informação aparecem como links. Basta clicar neles para acessar o conteúdo.

Data: 26/09/2017

Horário: 9:00

Local: Sala de videoconferência do campus Curitiba (presencial) e sala 991044 da videoconferência. 

Pauta: 1) Trabalhos da CIS: 1.1 regimento entregue ao CONSUP; 1.2 demais trabalhos;

2) Indicação de secretário executivo (pela categoria) para a CIS;

3) Participação CIS em GTs e Comissões de interesse da categoria;

4) Afastamento pós graduação: 4.1 nova resolução (51/2017); 4.2 edital afastamento e; 4.3 participação CIS no Comitê de Apoio ao afastamento integral dos TAE;

5) Flexibilização da jornada (30 horas) – material 1 e material 2.

 

Publicado em Calendário, Notícias | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

CIS-IFPR solicita participação em comissões e GTs de interesse da categoria

pensamento-grupoA CIS-IFPR já solicitou à Reitoria a participação em dois grupos de trabalho que possuem temas do interesse da categoria técnico-administrativa. Até o momento, novamente, estamos sem resposta alguma da gestão, criando um claro caso de continuado desrespeito a nossa categoria.

Confira abaixo os e-mails com as solicitações da CIS para participar de dois GTs: 1) o GT que trata de regulamentação do trabalho dos TAE em pesquisa, extensão e inovação; 2) o GT aquele GT responsável pela elaboração de normativa, visando a padronização dos apontamentos de frequência, no âmbito do IFPR, dos servidores (técnico-administrativos e docentes, quando ocupantes de cargos de confiança)

2017.09.18 E-mail de Ifpr.edu – participação CIS em GTs gestão

OBS: as informações da CIS-IFPR têm sido publicadas apenas neste blog. O motivo disto é que,  até o momento, a gestão do IFPR não forneceu acesso ao site da CIS aos novos membros, apesar de nossos pedidos datados de julho ao gabinete, e de 16/08 a DTIC (refeito com a documentação que exigiram em 29/08). Tem ficado claro que, com uma nova composição, agora com servidores sem cargos na gestão central, independentes, críticos e ativos, os gestores temporários da Reitoria têm buscado, de todas as formas cercear a participação de nossa comissão nos temas de interesse dos técnicos, e impedir a comunicação entre a comissão e a categoria. Num completo desrespeito a comissão e, o que é mais grave, a categoria que ela representa. De qualquer forma, continuaremos a – junto e dialogando com a categoria – fazer nosso trabalho. Tão logo o acesso ao site seja liberado, todas as informações serão publicadas sempre naquele devido espaço institucional que, apesar de nossos votos e de nosso direito de representação da categoria, tem nos sido negado

 

Publicado em Carreira, Notícias | Marcado com , , , | 1 Comentário

Considerações da CIS-IFPR sobre a nova resolução de afastamento para pós-graduação (51/2017)

CONSIDERAÇÕES SOBRE RESOLUÇÃO 51/2017

1) “Considerandos”:

Na primeira página é informado no terceiro parágrafo que a PROGEPE considerou a CIS, o que não é um fato verdadeiro. A CIS quando participou com membro indicado (o coordenador Guilherme) nesta comissão que revia a resolução de afastamento para pós graduação informou que faria consulta com os demais membros (titulares e suplentes) e com a categoria. A PROGEPE se opôs a tal método democrático de consulta ao conjunto da comissão e a categoria, impedindo que o membro indicado pela CIS levasse o conteúdo produzido naquela comissão para “fora dela”, como se houvesse necessidade de algum sigilo na elaboração de uma resolução que trata de assunto tão importante. Dado todo este quadro, e que, portanto, as opiniões da CIS e da categoria não seriam levadas em conta, o membro indicado pela CIS se retirou da referida comissão. Tudo isto está documentado junto a gestão do IFPR. Portanto a gestão mente quando afirma que houve consulta a CIS. Esta consulta não só inexistiu, como a comissão e a categoria que ela representa, foram tratados com total desrespeito pela gestão; 

No penúltimo “considerando”, sobre a NOTA TÉCNICA 6197 – 2015 – CGNOR, da Secretaria de Gestão Pública, essa consideração não ocorre devido a dois pontos: razoabilidade e economicidade. Uma vez que a resolução impõe as mesmas regras para o afastamento parcial e integral, ela não considera essa nota técnica e, ao equipará-los, esses dois princípios da administração pública. Ao não levar em conta tais princípios, acaba por desconsiderar estes dois princípios da administração pública. Sempre é bom lembrar que o afastamento parcial, assim como a liberação para realizar um curso em proveito da administração (um curso de uma semana ou de vários períodos na semana durante um mês) não são lançados no sistema como afastamentos, portanto, equipará-los ao afastamento integral é um contra-senso. E se há equiparação do afastamento parcial, também deverá haver equiparação do afastamento parcial para realizar cursos em períodos concedidos pela gestão. Não faz sentido algum e não coaduna com o conteúdo e sentido da legislação e da supracitada Nota Técnica. 

2) Das disposições gerais: no Art. 6º, o afastamento parcial é vinculado a negativa do integral e vincula esses dois tipos de afastamento. Ora, o afastamento parcial não é uma licença em si, pois nem no sistema de afastamentos dos servidores e licenças ele é lançado. Ao vincular um afastamento a outro, causa-se prejuízo à administração pública ao impedir a qualificação de seu quadro de servidores técnicos, principalmente sobre o uso do afastamento parcial como motivação principal, no sentido de evitar o prejuízo concedendo o afastamento integral como primeira opção para qualificação de quadro;

3) ÚNICO PONTO POSITIVO DA RESOLUÇÃO: Capítulo II: do afastamento integral parágrafo 1º do Art. 8º, poderá ser concedida prorrogação de prazo. Esse é o único ponto considerado como avanço em relação a resolução anterior. Nenhum mérito, visto que deveria ser corrigido em nova reformulação e considerar que prorrogações existem nos programas de pós-graduação e a resolução deve seguir essas regras;

4) Art. 10º, parágrafo 3º: informa que “os afastamentos e licenças obedecerão aos previstos na Lei n. 8.112/1990”. Necessário informar ESPECIFICAMENTE os artigos da lei;

5) Art. 20, parágrafo 13º: quais tipos de pendências? Necessário especificar;

6) Art. 22: se a chefia imediata (o termo utilizado foi autoridade máxima da unidade (?)) autoriza o afastamento do TAE e se responsabilidade pelas atividades da seção, não faz sentido ter um artigo com texto que desmoraliza a autoridade da chefia imediata e autonomia da unidade informando que tal chefia deverá justificar a autorização do TAE que executa “atividades que não possam ser remanejadas para outros servidores acarretando prejuízo institucional”;

7) Art. 26, parágrafo 2º: não foi encontrado base legal para a cobrança de “pedágio” para o afastamento parcial. Compreendendo que, como esse tipo de afastamento não é lançado em sistema, não faz sentido cobrar que o servidor permaneça no IFPR pelo mesmo tempo que utilizou para o afastamento parcial e que seja impeditivo para licença capacitação e afastamento integral;

8) Capítulo V: Das Disposições Finais: Art. 45. item I, alínea a), informa que o servidor terá 180 dias (qual a base legal para esse prazo?) para apresentar “cópia autenticada do diploma, certificado e declaração de conclusão de pós-doutorado, que obteve com afastamento (não informa o tipo). Na alínea a) é informado que esses documentos devem ser reconhecidos pelo MEC. Ora, ninguém conseguirá apresentar, pois no nível strito sensu, a regulação é realizada pela Capes. Informação deve ser corrigida. Além disso, 180 dias não são cumpridos por muitas instituições na emissão de certificados e diplomas, o próprio IFPR não cumpre esse prazo, na maioria dos casos, emite em tempo superior;

9) Art. 48: Onde os servidores da reitoria realizarão depósito legal da produção intelectual? Necessário mencionar: a reitoria não possui biblioteca.

10) Cabe apontar mais um ponto positivo, não da resolução, mas do Edital: o aumento do cálculo de vagas para TAEs de um percentual de 8% para 12% possibilitou um aumento do número de vagas. A CIS tem participado, através da membro indicada (Patrícia Teixeira) ativamente do Comitê de Apoio ao afastamento integral dos TAE. Quando possível informações sobre o Comitê serão publicadas. 

OBS: as informações da CIS-IFPR têm sido publicadas apenas neste blog. O motivo disto é que,  até o momento, a gestão do IFPR não forneceu acesso ao site da CIS aos novos membros, apesar de nossos pedidos datados de julho ao gabinete, e de 16/08 a DTIC (refeito com a documentação que exigiram em 29/08). Tem ficado claro que, com uma nova composição, agora com servidores sem cargos na gestão central, independentes, críticos e ativos, os gestores temporários da Reitoria têm buscado, de todas as formas cercear a participação de nossa comissão nos temas de interesse dos técnicos, e impedir a comunicação entre a comissão e a categoria. Num completo desrespeito a comissão e, o que é mais grave, a categoria que ela representa. De qualquer forma, continuaremos a – junto e dialogando com a categoria – fazer nosso trabalho. Tão logo o acesso ao site seja liberado, todas as informações serão publicadas sempre naquele devido espaço institucional que, apesar de nossos votos e de nosso direito de representação da categoria, tem nos sido negado

Publicado em Carreira, Notícias | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

Processo seletivo simplificado (PSS) para docente deve ter prazo mínimo de 10 dias de inscrição

Era prática comum em alguns campus do IFPR a publicação de editais para concurso público através de processo seletivo simplificado com apenas cinco dias de prazo para inscrição. Tal procedimento criava dúvidas sobre a lisura destes processos, e gerou prejuízos aos alunos e a instituição, pois algumas vezes, dos poucos candidatos inscritos, nenhum foi aprovado. Devido a isto, o autor deste blog (Guilherme Basso dos Reis, servidor técnico administrativo no campus Campo Largo) fez denúncia ao MPF-PR, que determinou que, conforme Conjunto de Orientações Nº 8, todos os processos seletivos devem ter no mínimo 10 dias de inscrição de candidatos. Mesmo os PSS. Fiscalize no seu campus.

Confira abaixo o informe do MPF-PR sobre o tema.

Concursos PSS IFPR – MPF

Publicado em Denúncias, Notícias | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Proposta final de novo regimento é entregue ao CONSUP

hqdefaultA nova proposta de regimento da CIS foi devolvida ao CONSUP no dia 29.08.2017. Confira abaixo os documentos enviados e o processo do regimento.

Despacho interlocutório

Guia movimentação

SIPAC – Despacho interlocutório

CIS regimento interno processo

OBS: as informações da CIS-IFPR têm sido publicadas apenas neste blog. O motivo disto é que,  até o momento, a gestão do IFPR não forneceu acesso ao site da CIS aos novos membros, apesar de nossos pedidos datados de julho ao gabinete, e de 16/08 a DTIC (refeito com a documentação que exigiram em 29/08). Tem ficado claro que, com uma nova composição, agora com servidores sem cargos na gestão central, independentes, críticos e ativos, os gestores temporários da Reitoria têm buscado, de todas as formas cercear a participação de nossa comissão nos temas de interesse dos técnicos, e impedir a comunicação entre a comissão e a categoria. Num completo desrespeito a comissão e, o que é mais grave, a categoria que ela representa. De qualquer forma, continuaremos a – junto e dialogando com a categoria – fazer nosso trabalho. Tão logo o acesso ao site seja liberado, todas as informações serão publicadas sempre naquele devido espaço institucional que, apesar de nossos votos e de nosso direito de representação da categoria, tem nos sido negado

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

IFPR Paranaguá – Diretor exonerado sem motivação pelo Reitor deverá retornar ao cargo

O diretor do campus Paranaguá, Roberto Alves Teixeira, eleito pela comunidade acadêmica daquele campus no pleito de 2015, deverá retornar ao cargo do qual foi retirado e exonerado de maneira completamente anti-democrática, e em ato que fere o interesse público, pelo Reitor Interventor. A decisão da justiça aponta que tal exoneração se deu sem motivação justa alguma (em termos de interesse público) e que, inclusive, tal ato afronta a lei de criação dos Institutos Federais (Lei 11892/2008) e o decreto 6986/2009, que regulamenta a realização de eleições nos IFs. A Reitoria Interventora também descumpriu e ignorou decisão já anterior da Justiça Federal no Paraná, presente no processo AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5040275-92.2016.4.04.0000/PR, quando da decisão de posse do diretor eleito no campus Assis Chateaubriand, José Provetti Junior. A decisão publicada em 21/08/2017 prevê que o diretor Roberto Teixeira deve retornar ao seu cargo em até dez dias, sob pena de multa para instituição (R$ 1.000 diários).

Independente da posição política, do grupo político-institucional ao qual pertencemos ou de em quem  votamos nas últimas eleições, devemos considerar essa decisão judicial uma importante vitória da democracia em nossas instituições. Gestor eleito é gestor empossado. Só cabe a comunidade acadêmica decidir sobre sua continuidade no cargo.

Confirma a decisão completa da justiça no caso de Paranaguá Agravo de Instrumento Nº 5041451-72.2017.4.04.0000

Confira qual foi a decisão anterior no caso de Assis Chateaubriand e do diretor eleito José Provetti Junior.

Final Evento 23 – RELT1

Final Evento 23 – ACOR3

Final Evento 23 – VOTO2

Publicado em Denúncias, Notícias | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

30 horas – dados, portarias e situação oficial

Guilherme Basso dos Reis, coordenador de CIS, com dados fornecidos pelos servidores técnico-administrativos Leandro José de Araujo e Magno Antônio Gomes.

Até o momento temos 37 portarias. São elas: 568, 565, 572, 574, 619, 564, 618, 570, 566, 567, 569, 563, 573, 617, 616, 615, 655, 673, 691, 695, 737, 738, 739, 740, 741, 742, 779, 791, 792, 793, 794, 795, 796, 797, 798, 799 e 800. Confira as portarias e mais materiais sobre as 30 horas em MATERIAIS SOBRE AS 30 HORAS.

No total foram 143 servidores. Por setor, tem o seguinte quadro:

Setor %
Diretoria de Ensino 11 7,7%
Biblioteca 31 21,7%
Secretaria Acadêmica 41 28,7%
SPAE 35 24,5%
TIC 6 4,2%
PROENS 6 4,2%
PROGEPE 13 9,1%
TOTAL 143 100,0%

Por campus ficou da seguinte maneira:

Campus Flex %
Assis 3 2,1%
Astorga 0 0,0%
Barracão 0 0,0%
Capanema 0 0,0%
Campo Largo 2 1,4%
Cascavel 11 7,7%
Colombo 0 0,0%
Coronel Vivida 0 0,0%
Curitiba 29 20,3%
EAD 0 0,0%
Foz 5 3,5%
Goioerê 3 2,1%
Irati 3 2,1%
Ivaiporã 6 4,2%
Jacarezinho 4 2,8%
Jaguariaíva 0 0,0%
Londrina 3 2,1%
Palmas 19 13,3%
Paranaguá 10 7,0%
Paranavaí 6 4,2%
Pinhais 0 0,0%
Pitanga 0 0,0%
Quedas do Iguaçu 0 0,0%
Reitoria 19 13,3%
Telêmaco Borba 12 8,4%
Umuarama 8 5,6%
União da Vitória 0 0,0%
TOTAL 143 100,0%

Agora o mais importante. Na reunião que tivemos com o reitor o cálculo para verificar quantos servidores estavam flexibilizados foi da seguinte maneira: de todos TAE, retira-se os que possuem FG e CD. Destes que sobraram, segundo a Reitoria, apenas 60% serão flexibilizáveis. Esses 60%, na avaliação da Reitoria, se justificam com base na porcentagem de servidores que atuam no pedagógico (60%) e aqueles que atuam no administrativo (40%). Segundo a Reitoria, estes 40% de servidores em atuação no administrativo não conseguiriam flexibilizar. Discordamos desta posição e acreditamos, que, no mínimo, metade dos servidores do administrativo poderiam flexibilizar, ou seja, apenas 20% dos servidores sem FG e CD não conseguiriam flexibilização. Qual seja, 80% dos servidores sem FG ou CD teriam direito a flexibilização segundo a própria resolução. Entendemos, desta forma, que a flexibilização seria uma real e continuada política de gestão de pessoas, de valorização de nossa carreira e categoria, e de atendimento ininterrupto nos três períodos ao público, e não apenas uma barganha política.

O quadro que temos, conforme os cálculos da gestão é o seguinte:

Campus 60% 30h
Assis 11 27,8%
Astorga 4 0,0%
Barracão 4 0,0%
Capanema 3 0,0%
Campo Largo 11 18,5%
Cascavel 11 96,5%
Colombo 4 0,0%
Coronel Vivida 2 0,0%
Curitiba 37 79,2%
EAD 7 0,0%
Foz 12 41,7%
Goioerê 5 62,5%
Irati 14 20,8%
Ivaiporã 14 41,7%
Jacarezinho 14 29,0%
Jaguariaíva 2 0,0%
Londrina 15 20,0%
Palmas 18 105,6%
Paranaguá 20 50,5%
Paranavaí 19 32,3%
Pinhais 2 0,0%
Pitanga 1 0,0%
Quedas do Iguaçu 2 0,0%
Reitoria 73 26,0%
Telêmaco Borba 10 117,6%
Umuarama 11 70,2%
União da Vitória 2 0,0%
TOTAL 329 43,5%

Ou seja, o total de TAEs flexibilizáveis (conforme regra de 60%) são 329, portanto, teríamos até o momento 43,5% flexibilizados, tendo em vista os 143 já flexibilizados

Na análise de 20%, teríamos:

Campus 80% 30h
Assis 14,4 20,8%
Astorga 4,8 0,0%
Barracão 4,8 0,0%
Capanema 4 0,0%
Campo Largo 14,4 13,9%
Cascavel 15,2 72,4%
Colombo 4,8 0,0%
Coronel Vivida 3,2 0,0%
Curitiba 48,8 59,4%
EAD 9,6 0,0%
Foz 16 31,3%
Goioerê 6,4 46,9%
Irati 19,2 15,6%
Ivaiporã 19,2 31,3%
Jacarezinho 18,4 21,7%
Jaguariaíva 2,4 0,0%
Londrina 20 15,0%
Palmas 24 79,2%
Paranaguá 26,4 37,9%
Paranavaí 24,8 24,2%
Pinhais 3,2 0,0%
Pitanga 1,6 0,0%
Quedas do Iguaçu 3,2 0,0%
Reitoria 97,6 19,5%
Telêmaco Borba 13,6 88,2%
Umuarama 15,2 52,6%
União da Vitória 3,2 0,0%
TOTAL 438,4 32,6%

Ou seja, um total de flexibilizáveis de 438,4 e deste 32,6% já flexibilizados (143).

O movimento dos técnicos e a CIS se colocam a disposição de toda categoria para continuarmos nossa reivindicação e luta.

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , | 1 Comentário

Confira os resultados do manifesto dos TAE e da CIS sobre as 30 horas (resolução 10/2017)

denuncia

Recentemente,  movimento dos TAE e a CIS-IFPR lançaram o MANIFESTO EM FAVOR DAS 30 HORAS DOS TAES E SOLICITAÇÃO PARA REVISÃO DA RESOLUÇÃO N. 10/2017 (IFPR)

Cerca de 80 assinaturas foram coletadas e o documento foi entregue a gestão e ao CONSUP. Graças a este movimento reivindicatório, conseguimos avançar na questão e algumas portarias foram publicadas. Antes do movimento o número de portarias publicadas era 0. Após o movimento, já são 37 portarias de flexibilização. O que comprova que é só com muita reivindicação e luta que conquistamos algo enquanto categoria. Sabemos que ainda é muito pouco para a realidade de uma instituição que possui 25 campus e centenas de setores e servidores. Além disto, como apontamos no documento, não adianta só a publicação de novas portarias, mas a própria resolução deve sofrer modificações. A CIS-IFPR continuará a apoiar os técnico-administrativos em suas reivindicações e na luta e organização por direitos e respeito a nossa categoria. Confira as portarias já publicadas e outros documentos sobre as 30 horas em: MATERIAIS SOBRE AS 30 HORAS.

A CIS continuará buscando o diálogo junto a gestão e aos órgãos institucionais para conseguir que os direitos previstos em e/ou para nossa carreira sejam respeitados e implementados.

No próximo post, posto dados das portarias fornecidos pelos servidores Leandro José Araujo e Magno Antônio Gomes. Acompanhe.

Guilherme Basso dos Reis
Coordenador da CIS – Servidor técnico-administrativo no campus Campo Largo

 

Publicado em Carreira, Notícias | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

IFPR e Justiça: é publicada sentença da Operação SINAPSE

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário